QUANDO SURGIU PAPAI NOEL?

O querido Papai Noel das crianças e dos adultos (por que não?), não nasceu velho nem barrigudo como o conhecemos hoje. As lendas dão conta de muitas histórias que foram sendo tecidas ao longo dos séculos, até culminar na figura simpática do bom velhinho que tanto amamos.

Antes mesmo da sua associação à figura de São Nicolau, já se conhecia histórias em torno da figura de um velho que participava de celebrações destinadas a amenizar o rigor das temperaturas e a falta de comida que assolava a Europa nos fins de dezembro. Rezam essas lendas que o “Velho do Inverno” era um bom senhor que batia na porta das casas em noites geladas, pedindo um pouco de comida e bebida quente. Segundo a tradição, quem o atendesse com generosidade ganhava a sorte de desfrutar de um inverno menos rigoroso.

Várias décadas depois surgem os relatos da associação entre o “Velho do Inverno” e a figura de São Nicolau. As anotações históricas se referem ao santo como como um monge turco que viveu durante o século IV. São Nicolau teria salvado uma menina de ser vendida pelo pai, jogando um saco de moedas de ouro que poderiam pagar pelo seu dote de casamento. Anos depois, já velhinho, cultivava o costume de fabricar ele mesmo pequenos brinquedos e a noite saia sorrateiramente para os deixar camuflados nas portas e janelas das casas onde sabia que haviam crianças.

Somente nos fins do século XIX, o desenhista alemão Thomas Nast teve a ideia de incorporar novos elementos à imagem desse bom velhinho. Primeiro ele publicou em uma revista americana o desenho de um Papai Noel que, para os dias atuais, mais se assemelha a um gnomo da floresta. Com o tempo, o bom velhinho ganhou as formas rechonchudas e a barba branca.

O toque final foi dado pelo artista Haddon Sundblom, contratado pela empresa de refrigerantes Coca-Cola, em 1931, para fazer uma publicidade de suas bebidas POR ocasião do Natal. A ideia deu tão certo que, desde então, as empresas a adotaram e a popularização do bom velhinho foi tamanha que institucionalizou o “padrão Papai Noel” que tanto admiramos.

A barba branca impõe o respeito a quem já viveu muito e a vestimenta vermelha é um ícone de alegria, associado a outros enfeites de Natal. Por certo, não poderia haver uma figura mais simpática e lúdica para perpetuar a lenda e encher de alegria e expectativa a noite mais doce do ano.

O Via Café convida a todos para conferir a sua decoração de Natal e a chegada do Papai Noel neste domingo.  Traga as crianças e venha compartilhar com a gente esse momento mágico e cheio de significado!

 

2 Comentários
  • Ana

    A história ficou muito bem contada e a matéria bem redigida. Boa mesmo.

    8 de dezembro de 2018 Responder

Deixe um comentário