CARNAVAL COM SEGURANÇA TEM MUITO MAIS ALEGRIA!

 

A tradução da palavra Carnaval para o brasileiro é alegria.  Mas é preciso combiná-la com segurança. Nesses dias, que parecem abrir um parêntese da realidade dura da vida de maior parte da população, o alto astral comanda a festa. Todo mundo quer cair na folia, seja viajando ou sambando na avenida. O importante é que essa alegria dê o tom, com todo mundo vestido de forma descontraída ou caprichando demais na fantasia.

Há algo, contudo, que não se pode perder de vista:o dia seguinte. É que depois do carnaval, a vida precisa prosseguir também em paz e sem problemas.  Ressaca de consciência e frustrações não precisa vir junto com a quarta-feira de cinzas.

Prevenção nunca fez mal a ninguém, então o melhor mesmo é não dar mole pro azar.  Folião esperto não vacila, toma providências. Se vai beber, não dirija. Condição inegociável. Não há exceção para isso. Sair em grupo, além de ser mais divertido, é muito mais seguro, inclusive na hora de voltar para a casa. Tem sempre aquele que não bebe e ajuda a controlar os outros, a decidir quando é hora de chamar um táxi ou pegar o carro.  Planeje seu roteiro, evite caminhos com pouco fluxo de pessoas ou ruas mal iluminadas, locais vulneráveis ao ataque de bandidos. O caminho mais rápido nem sempre é o mais seguro.

Se for beber, olho vivo no copo. Não faltam malandros tentando tirar proveito, sobretudo de mulheres, colocando produtos soníferos ou drogas pesadas em bebidas.   Nunca aceite produtos que estejam sem o lacre de segurança ou apresente danos na embalagem. Jamais deixe seu copo “à deriva”.

Todo cuidado é pouco!

O ideal é não carregar celular. Cartão de banco nem pensar. Leve portanto pouca quantia em dinheiro, cópia de documentos pessoais, cartão de convênio de saúde ou outro tipo de atendimento. Se levar o celular for muito necessário, jamais deixe dentro do carro ou no bolso da calça ou short.

Ao sair com crianças, redobre toda a atenção. Ensine-as a observar o trânsito, a ter muito cuidado ao atravessar a rua, a não aceitar doces, salgadinhos ou bebidas das mãos de estranhos. Ensine-as, sobretudo, a saber como agir no caso de ficarem perdidas.  O ideal é que as crianças sejam identificadas por crachás com nome e endereço dos responsáveis e que elas saibam localizar um policial para pedir ajuda. E se você se deparar com alguma criança perdida, leve-a para o centro policial mais próximo.

No caso de brigas ou confusões, mantenha-se à distância. Se presenciar alguma situação suspeita ou ação perigosa, informe aos policiais, jamais se intrometa ou confronte. Isso é para profissionais de segurança.

Lembrando: o celular foi o item mais roubado durante o Carnaval do ano passado. Somente em São Paulo foram registradas duas mil ocorrências entre os blocos ou nas imediações dos desfiles. Esteja atento e não entre em nenhuma das estatísticas negativas do Carnaval! Que seja mesmo só alegria.

 

 

Nenhum Comentário

Deixe um comentário